quarta-feira, agosto 14, 2002

Quatro perguntas para os quatro principais candidatos ao governo do Rio (a ordem das respostas foi definida pelo alfabeto):

JOANAR: Boa noite Candidata(o), tudo bem?

BENEDITA DA SILVA: Não está melhor porque eu herdei um estado falido do meu antecessor, o senhor Garotinho. Tenho que fazer um esforço enorme para conseguir administrar o rombo no orçamento deixado pelo meu antecessor, o senhor Garotinho. Além disso, em apenas nove meses terei que dar o máximo para tirar do Rio de Janeiro todas as mazelas deixadas pelo meu antecessor, o senhor Garotinho.

JORGE ROBERTO SILVEIRA: Em Niterói, está tudo ótimo. Sei que o resto do estado não está tão bem, mas o meu governo transformará o Rio todo em uma grande Niterói. Quem diz o contrário é a favor da baderna.

ROSINHA MATHEUS: Tudo bem!!!!! Boa noite para você, eleitor!!!! Eu quero dizer para você, olhando no seu olho, que comigo está tudo ótimo!!!!!!

SOLANGE AMARAL: Boa noite Joanar. Se está tudo bem? Não, mas NÓS temos um programa de governo que possibilitará que o cidadão responda com firmeza: está tudo bem. Tem que estar tudo bem na EDUCAÇÃO, na SEGURANÇA, na SAÚDE e na DOENÇA. NÓS vamos conseguir isso porque EU represento a mudança.

JOANAR: Candidata(o), que horas tem?

BENEDITA DA SILVA: Hora de trabalhar. Temos pouco tempo. Precisamos correr para administrar este governo falido que eu recebi do meu antecessor, o senhor Garotinho. Tenho certeza que com muito trabalho conseguiremos apagar a má impressão deixada pelo meu antecessor, o senhor Garotinho.

JORGE ROBERTO SILVEIRA: 22h30, hora de Niterói.

ROSINHA MATHEUS: Chegou a hora de apagar a velinha, vamos cantar aquela musiquinha, parabéns (GAROTINHO!), parabéns (GAROTINHO!), pelos seus adversários...

SOLANGE AMARAL: É hora de o povo dar um BASTA nesta política que aí está. Hora de dizer o QUANTO está insatisfeito e mostrar que QUER mudanças. EU represento a mudança.

JOANAR: Candidata(o), você pode me dar licença?

BENEDITA DA SILVA: A prática de distribuição de licenças era freqüente no governo do meu antecessor, o senhor Garotinho. Por conta disso, temos um rombo no orçamento enorme, deixado pelo meu antecessor, o senhor Garotinho. Eu tenho um relatório que mostra as condições que eu encontrei o governo do estado, após a saída do meu antecessor, o senhor Garotinho.

JORGE ROBERTO SILVEIRA: Há um mal-entendido. Algumas pessoas espalham boatos de que houve distribuição de licenças para obras com gabarito muito alto em Niterói, mas isso é uma inverdade. O gabarito de Niterói foi definido há 40 anos, era necessária uma mudança. Eu apenas aumentei a altura dos prédios em algumas ruas de dois pavimentos para 47 andares, mas essas licenças foram concedidas seguindo um plano estratégico para desenvolvimento da cidade. Aumentar o gabarito de 2 para 47 andares foi uma decisão altamente estudada. Quem diz o contrário é a favor da baderna.

ROSINHA MATHEUS: Claro, pode passar!!!! Querido eleitor, eu quero dizer mais uma vez, olhando nos seus olhos, que eu farei de tudo para que o seu caminho para a felicidade esteja sempre desobstruído.

SOLANGE AMARAL: Não sou EU que estou em seu caminho. Joanar, você tem que entender que a estrutura de poder PRECISA mudar. Muitas vezes, o que achamos que está no lugar errado, na VERDADE é o que está no lugar certo. E vice-versa. Vou te dar uma cópia deste livrinho aqui, que contém o MEU programa de governo, que irá comprovar que este é o MEU lugar porque EU represento a mudança.

JOANAR: Quer café, candidata(o)?

BENEDITA DA SILVA: Preciso tomar muito café para agüentar o ritmo deste governo difícil que herdei das mãos do meu antecessor, o senhor Garotinho. Durmo todos os dias às 2h e levanto às 6h. Tenho muita disposição, aos 60 anos, para livrar o povo do Rio das mazelas deixadas pelo meu antecessor, o senhor Garotinho.

JORGE ROBERTO SILVEIRA: Não tem hidrovita? (Nota da Redação: Hidrovita é um líquido não-identificado que só é vendido em Niterói).

ROSINHA MATHEUS: Querido eleitor, estou aqui para dizer, olhando nos seus olhos, que eu só tomo café sem açúcar!!!!

SOLANGE AMARAL: Aceito, Joanar. Por favor, coloque três gotas de adoçante e duas colheres de açúcar. Sim, porque EU tomo café com adoçante e açúcar. EU quero mostrar que sou diferente de todos os outros. Quem já leu o MEU programa de governo SABE que a NOSSA proposta é diferente de tudo o que já foi feito, porque EU represento a mudança.

quinta-feira, agosto 08, 2002

segunda-feira, agosto 05, 2002

Acabo de virar alvo fácil para os caçadores de Spam. A última edição da revista VIP, que traz a VJ Marina Person na capa, tem uma reprodução de um post meu. No pé da página, eles dizem que o texto é "baseado em Spam da Internet". Portanto, amigos, se algo acontecer contra a minha pessoa vocês já sabem: Samuel é o principal suspeito, visto que ele abraçou a campanha "Morte ao Spam" em seu blog. Cora é outra que deve figurar na lista de possíveis responsáveis, já que chegou a dar dicas de como eliminar um Spam sem lê-lo em seu blog. Elis, Isabela, Meg, Claudio, todos vocês são suspeitos em potencial. Mas eu diria que o mordomo, aquele que sempre acaba levando a culpa, é mesmo Samuca, porque mantém no Imprensa Marrom a imagem abaixo, um incentivo ao crime contra mim:



ESCLARECIMENTO: Os editores da VIP se deram ao luxo de incluir no pé de cada módulo do "Curso Prático de Dramaturgia" um adendo chamado obras de referência. Mas devo esclarecer que há pontos errados. O módulo de Benedito Ruy Barbosa eles dizem que foi baseado em Esperança, Terra Nostra e Pantanal. A novela exibida na extinta TV Manchete não tem nada a ver com isso, na verdade o trio é Esperança-Terra Nostra-Rei do Gado (primeira fase). Sobre Glória Perez, eles dizem que as obras de referência são O Clone e Barriga de Alguel, esqueceram da inesquecível Explode Coração, importantíssima. Mas o pior é no módulo de Aguinaldo Silva, em que eles listam Porto dos Milagres, Tieta e Roque Santeiro. Mas peraí, Roque Santeiro é do Dias Gomes, Aguinaldo Silva foi um mero colaborador. Vamos respeitar o imortal que nem está mais aqui para se defender.

sexta-feira, agosto 02, 2002

A falta de idéias que assola a humanidade é tão séria que tem muito jornalista por aí copiando os outros na maior cara-dura. Eu não falo nada...